Mega Tutorial: Como migrar site WordPress

  • Home
  • cPanel
  • Mega Tutorial: Como migrar site WordPress

Estava navegando pelas “interwebs” e se sentiu atraído pelos preços incríveis da CloudBrain mas ai se perguntou: “como eu vou migrar meu site”, certo? Não tema. Nós vamos lhe ensinar várias forma de como migrar o seu site em WordPress de formas muito simples. Se você ainda não conhece nossos serviços, conheça nossos planos de Hospedagem WordPress.

Basicamente, você precisará apenas ter acesso à nova hospedagem e à antiga (ou pelo menos a um backup de sua instalação anterior). Agora, vamos ao que interessa:

1- Migração de hospedagem

Esse é o método mais fácil, já que você não precisará fazer nada. Sim, é isso mesmo.

Nesse processo, você apenas precisa fornecer o acesso à sua antiga hospedagem e nossa equipe fará a importação de sua conta, replicando em nosso servidor todos os dados que estavam em sua conta.

Como nem todos os servidores são iguais – bem como as pessoas – esse método pode causar alguns problemas – também igual às pessoas – , como incompatibilidades de versões de PHP, Extensões, Bancos de Dados e muitas outras variáveis.

Os riscos foram ressaltados, mas não é sempre que eles ocorrem, então cabe apenas a você decidir se irá optar por este método. Para solicitar sua migração, basta clicar aqui.

2- Importação via Softaculous

Esse método é mais confiável que o primeiro, mas você precisará que ambas as hospedagens tenham uma licença ativa do Softaculous. O procedimento é bem simples, veja:

  • Acesse o cPanel de sua nova hospedagem
login cpanel
  • Encontre o atalho do Softaculous e busque pelo WordPress
wordpress softaculous
  • Encontre e acesse a última aba, “Import”
aba import
  • Clique na segunda aba, “From remote server”
from remote server
  • Preencha corretamente os detalhes de FTP e diretório da instalação antiga
dados ftp
  • Mais abaixo, informe também o domínio (ou sub) onde será instalado o WP
local de instalação
  • Clique em “Import” e aguarde o fim do processo.

Esse processo restaura toda a sua instalação, com plugins, temas, artigos, usuários, galerias e etc, mas pode tomar algum tempo – bastante tempo. Não é o mais adequado (já chegaremos no mais recomendado), mas ainda é muito eficaz.

3- Migração manual

Esse processo pode ser um pouco mais complicado e requer bastante atenção, mas também é bem eficaz. Esse procedimento também restaura o WordPress em sua totalidade, com plugins, arquivos, postagens e tudo o mais, mas assegure-se de que todos os requisitos da hospedagem estão sendo cumpridos.

Para executar a migração manual:

  • Acesse sua hospedagem antiga e faça a compressão de todos os arquivos do diretório da instalação
compressão
  • Acesse o PHPMyAdmin (ou outro gerenciador do banco de dados) e faça a exportação do banco de dados da instalação
exportar banco de dados
  • Após ter baixado os arquivos compactados do diretório de instalação e do banco de dados, acesse sua nova hospedagem e envie o arquivo do diretório do WordPress para a pasta adequada e extraia o arquivo
upload
  • Faça a extração do arquivo que acabou de enviar
extração
  • Crie um novo banco de dados e usuário e garanta as permissões;
permissoes
  • Vá ao diretório do WordPress e encontre o arquivo wp-config.php, edite os campos relacionados ao banco de dados, insira os detalhes de acesso do banco de dados que acabou de criar
alterando o wp-config.php
  • Acesse o PHPMyAdmin e importe o arquivo do banco de dados.

Para isso, selecione o banco de dados. Depois, clique em “Importar” e escolha o arquivo.
Feito isso, basta clicar em “Executar”, na parte inferior da página.

importando o banco de dados

Feito isso, sua instalação já deverá estar funcionando perfeitamente em seu novo servidor. Lembre-se de apontar o domínio, ou o site continuará sendo direcionado para a hospedagem anterior.

4- Duplicação com plugin

Esse é o método mais eficaz para migrar, e até já usamos aqui em nosso site. Com o plugin Duplicator, sua instalação será clonada, e você poderá enviar essa cópia para o novo servidor. Os passos são muitos, mas bem simples, confira:

  • Acesse seu WordPress e procure o plugin “Duplicator” e faça a instalação
instalação do plugin duplicator
Instalação do plugin Duplicator
  • Após instalar, ative o plugin
  • Atualize a página, para que o plugin apareça e localize-o
  • Ao encontrá-lo, clique em “Packages”

link packages
  • Na tela que se abrirá, clique em “Create New”
  • No campo “Name”, insira o nome que deseja que o pacote receba
nome do pacote
  • Clique em “Next” e aguarde alguns segundos
aguardando scan
  • Será exibido um resultado, a maioria deverá aparecer em verde com “Good”. Verifique os campos em “Notice” e os resolva antes de prosseguir, caso julgue necessário
resultado do scan
  • Aguarde alguns momentos enquanto o pacote é criado (pode demorar um pouco)
construindo o pacote
  • O pacote será criado e aparecerão links para download. Baixe o Instalador e o arquivo (que terá o conteúdo do site).
pacote criado
  • Agora, você precisa enviar estes arquivos para sua nova hospedagem.

upload
  • Após o envio, acesse seu site e abra o endereço do arquivo installer.php. Na tela que se abrirá, clique em “Next”
primeira etapa
  • Aguarde enquanto os arquivos são extraídos. O processo poderá demorar, dependendo do tamanho do arquivo comprimido e dos recursos de sua hospedagem.
extraindo arquivos
  • Preencha as informações de conexão com o banco de dados. O banco de dados precisa estar vazio
conexão banco de dados
  • Caso os testes sejam bem sucedidos, clique em “Next”
testes
  • Preencha as informações do site, URL, Diretório e Título, respectivamente e, em seguida, clique em “Next”
local de instalação
  • Nesta última tela, clique em “Admin Login” para ser redirecionado para sua área de administração, onde os arquivos da restauração serão removidos ao logar.
login admin
  • Agora que os arquivos temporários foram removidos, sua instalação está pronta \o/
arquivos removidos

Agora você já sabe perfeitamente como transferir seu site em WordPress para os servidores da CloudBrain. E então, gostou das dicas? Tem algo a mais para complementar? Deixe nos comentários 🙂

Deixe uma resposta